HOMEDOJO DO GARUDA ACTION FIGURES FILMES ANÁLISES

A CENTOPÉIA HUMANA 3 (FINAL SEQUENCE) - REVIEW


100%  Politicamente incorreto e 100%  mais fraco que os anteriores. 

     Em meados de 2010 quando eu fiz a minha review do primeiro filme da franquia Centopéia Humana (não leu? Clica AQUI e leia) nunca imaginei que um filme Trash como esse iria tão longe. E quem diria, eu estava mesmo redondamente enganado, pois logo em seguida em 2011 lá estava eu fazendo a review do do segundo filme desta controversa saga criada por Tom Six (caso queira conferir também, basta clicar AQUI). E, hoje, em 2016, seis anos após a minha primeira review desta franquia, aqui estou eu de novo para uma review do terceiro (até agora o último) capítulo desta infame, porém genial franquia, A Centopéia Humana 3 (The Human Centipede  3 (Final Sequence).
       Se você leu minhas reviews dos dois últimos filmes, saberá que a Centopéia Humana é um filme que eu gosto bastante, pois, apesar de ser nojento, gore e muito trash, ele ainda sim é um filme muito bem construído, com vilões tão doentios que chegam a ser extremamente carismáticos e também pelo fato de hoje em dia ele ser um dos poucos filmes voltado para o terror que não vem com a intenção de agradar o público e nem de dar sustinhos bobos, mas sim com a intenção de chocar quem assiste o filme. E, na minha opinião, isso é o que o torna uma filme bom!
       O terceiro filme se passa em uma realidade onde o primeiro e o segundo filme são apenas filmes, assim, excluindo todos os acontecimentos do primeiro e segundo filmes, pois eles só aconteceram nos filmes. E, assim como acontece no segundo filme, o primeiro e segundo filmes da franquia servirão de inspiração para os malucos criarem a sua própria Centopéia humana no terceiro filme, só que desta vez em uma cadeia com centenas de bandidos!


        Como tudo o que aconteceu nos dois primeiros filmes não aconteceu de verdade, o terceiro filme acaba trazendo de volta Dieter Laser e Laurence Robert Harvey (O médico do primeiro filme e o gordinho com cara de maluco do segundo filme) como os vilões sádicos e malucos chamados Bill Boss e Dwight Butler, que trabalham em uma penitenciária no terceiro filme. Ao que parece apenas os dois atores têm coragem de permanecer na franquia (ou então foi por própria escolha do Tom Six).
     Independentemente do motivo deles terem sidos reciclados é preciso admitir que o Tom Six acertou em cheio em trazer Dieter Laser de volta a franquia, pois, ele de longe é um excelente ator, tanto é que o destaque do primeiro filme inteiro é todinho para ele, tanto é que isso lhe rendeu DOIS prêmios como melhor ator no primeiro filme. E no papel de Bill Boss ele não deixa em nada a a desejar na sua atuação como diretor de um presídio.
      Voltando a história do filme: Inspirado pelos filmes, Dwight tenta convencer seu chefe Bill Boss a utilizar o filme como inspiração para punir seus detentos, pois, todos os métodos de punição de Bill (que vão desde quebrar o braço, arrancar os testículos até queimar o rosto de seus detentos), não estão mais sendo eficazes para manter o controle dos presos em sua penitenciária, e com o emprego em jogo, Bill boss precisa encontrar um meio de conseguir controlar sua penitenciária antes que ele acabe sendo demitido. Então, desesperado por retomar o controle da sua penitenciária, ele acaba cedendo e pondo em pratica a ideia doentia de seu amigo Dwight em fazer uma Centopéia Humana com os detentos para conseguir colocá-los na linha.


     A premissa do filme apesar de bobinha, ela funciona bem para o desenvolvimento do filme, mas, no geral o filme não consegue manter o mesmo nível dos dois anteriores, ficando bastante aquém, graças a muitas cenas sem sentido, cenas com momentos que tentam ser de humor, mas acabam falhando miseravelmente a ponto de você ficar pensando "qual foi o sentido disso?".  Um bom exemplo são os ataques de fúria do Bill Boss (que acontecem com muita frequência) onde ele começa a gritar, falar palavrões, e fazer coisas completamente estúpidas, como por exemplo ficar gritando dentro de uma lata de lixo, fazendo obscenidades com a porta, com a secretária, com os outros personagens e muitas outras coisas aleatórias que você percebe que estão ali para tentarem dar um pouco de humor no filme, mas que não são nem um pouco engraçadas, na verdade são estúpidas e mesmo com o Dieter Laser dando seu máximo para realizar a sua cena, pois, sinceramente, nunca vi alguém na sua idade, (74 anos) gritando ou fazendo tantas obscenidades com o vigor de um jovem de 25 anos como ele faz nesse filme, porém, mesmo com sua atuação isso acaba se tornando muito cansativo de se ver, principalmente quando você vê que isso era para ser algo engraçado.


    Quando ele não está tentando ser engraçado, ele novamente mostra o porquê de ainda estar na franquia, ele é igualmente doentio, violento e destrutivo quanto ele era no primeiro filme, ou até pior! com cenas que realmente pegam pesado com que está assistindo o filme, como ele arrancar os testículos de um dos prisioneiros, e esfregar o sangue dele no seu próprio rosto enquanto grita de modo frenético. Todas as cenas envolvendo violência nesse filme estão tão chocantes quanto a do segundo filme, como um adicional a mais, ele é colorido, ao contrário do segundo, então, prepare-se para cenas extremamente violentas e chocantes, só que desta vez colorido!


    A atuação de Laurence Robert Harvey como Dwight também não está de todo mal, Infelizmente seu papel não chega nem perto de ser tão memorável  quanto a sua atuação como Martin Lomax no segundo filme. Creio que o forte dele não seja atuar como um personagem normal ou personagem de apoio do personagem principal, como ele acabou ficando no papel de Dwight e sim como um maluco psicótico potencialmente perigoso.
    Uma das coisas que eu não gostei foi não terem dado tanto destaque para a Centopéia Humana em si, pois, ao contrário dos outros filmes, ela demora muito para acontecer. A Centopéia Humana só aparece  por uns 6/7 minutos e com quase 20 minutos para acabar o filme! Como se não bastasse, praticamente não trás nada do sentimento de horror de estar grudado com a boca na bunda de alguém que os outros filmes traziam. Até parece que Tom Six estava tão distraído com cenas obscenas aleatórias, violência gratuita de primeira e com ele tentando fazer uma ponto no filme fazendo o papel dele mesmo... Sim, ele aparece no filme fazendo o papel dele mesmo (de dois filmes primeiros filmes) para ajudar Dwight e Bill Boss a criar uma Centopéia Humana na Cadeia, que para mim, ele quase acabou esquecendo do fator principal que leva dá nome ao filme: A CENTOPÉIA HUMANA!


    Sério! A atração principal do filme só está lá por estar, pois no fim das contas ela não serve para nada. Não tem nada durante a cena da Centopéia Humana que te faça sentir asco, ou ficar chocado como aconteceu com os outros filmes. Sem cocô escorrendo pela boca um do outro, sem gente tentando escapar rasgando a própria boca, sem masturbação de tanta excitação por se ver uma Centopéia Humana, simplesmente nada! 
    Tom Six deve ter achado que só o fato de ter uma Centopéia Humana com quinhentas pessoas já seria motivo o suficiente para chocar o público, porém não é. E novamente temos outras tentativas de humor que são dispensável durante essa cena da Centopéia Humana que te faz pensar "Que cena mais inútil".
    Como se não bastasse esse tamanho fiasco, eles ainda me inventam de fazer a "Largarta Humana" com o prisioneiros mais perigosos da cadeia e os condenados a morte, colocando-os em um destino pior do que ficar sentado esperando a morte.


    Sério? Pra quê?? Isso era realmente necessário? Isso foi uma tentativa patética de tentar chocar o público, pois convenhamos, quem já assistiu ao primeiro e segundo filme não tem nada demais nisso que faça com que você sinta nojo, medo ou aflição pelos personagens presos um no outro. Muito pelo contrário, a única coisa que você faz é olhar para os lados na tentativa de tentar algo mais interessante para acabar com o tédio dessa cena.
    Para terminar de enterrar o filme (principalmente nos Estados Unidos), Tom Six ainda ironiza o país e suas medidas um tanto quanto violentas e inumanas com seus prisioneiros e faz com que eles queiram adotar a ideia da Centopéia Humana como modo de punição em todas as cadeias dos Estados Unidos. E um dos personagens que vai concorrer a presidência dos Estados Unidos, após aprovar esse método, ainda diz que quando ele vai conseguir virar presidente do país fácil quando ele apresentar essa proposta de governo para os seus aliados e para o povo americano. Ou seja, Tom Six disse na cara dura que os americanos não passam de pessoas violentas sedentas por sangue que votariam em qualquer maluco que disse que matar pessoas, e prendê-las um pelo ânus do outro é a coisa certa e que isso faz parte do jeito americano de ser. E como a Centopéia Humana não é South Park da vida... já sabe né? Foi extremamente bombado  pelo público geral nos Estados Unidos.   


     No geral, Centopéia Humana 3 não é um filme de todo mal, se você gosta de muito gore vai se divertir pra caramba com o filme, porém, se comparado a seus anteriores ele é um filme muito mais fraco, sem graça e até ouso dizer que é uma continuação desnecessária, ainda mais para se fechar a franquia. Ele está muito longe de passar os mesmos sentimentos de terror e asco que os dois filmes anteriores conseguiram passar com sucesso. Uma das poucas coisas que salva o filme é a atuação de Dieter Laser, mostrando que mesmo o filme sendo fraco, não tem tempo ruim para sua atuação.
      Tom Six tentou fazer um filme mais chocante e politicamente incorreto, mas falhou miseravelmente nessa missão, sendo assim a minha nota final para esse filme em uma escala de 0 a 1 seria um 5, pois apesar de ser bem sem graça, as cenas de gore, e o excesso de violência gratuita ainda sim são o suficiente para fazer valer a pena uma conferida se você é fã do gênero trash. 
     Bem, é isso! Finalmente agora sim meu dever de fazer a review de todos os filmes desta franquia esta cumprido! Também posso seguramente dizer que o meu favorito é de longe o Centopéia Humana 2 (full Sequence). E você, qual é o seu filme favorito da franquia Centopéia Humana?

2 comentários:

Ozymandias Realista disse...

Li todo om seu texto alguns dias atrás. Eu não sou fã dessa franquia, acho até desnecessária. Assisti o primeiro filme, e achei uma das coisas mais vagas do mundo. Não era inteligente, mas tentava, e não conseguia ser trash. Mas havia o médico alemão, um brilhante ator, apesar das atrocidades gratuitas, ele segurava o filme. Ai fui ver o segundo, e só aguentei até a metade. O segundo também, tinha o excelente ator baixinho, mas é o meu estilo mesmo, vejo esses filmes como algo que transcende o terror, ou humor negro, e vai para o doentio mesmo. Só que nesse terceiro, que assisti quase todo, eu ri. E MUITO. O filme é um stand-up contra todo o politicamente correto atual, contra até mesmo os filmes anteriores. E acho que depois de toda a esculhambação dos dois anteriores, o cara aceitou abraçar o trash de vez.

Gualberto disse...

Ozymandias...O primeiro eu também acho que se salva pelo Dieter Laser, cara dá um show, mas ainda no geral é literalmente um filme bom. Segundo para mim é uma obra prima do terror... Eu mesmo gosto mais de algo beirando o doentio do que algo voltado ao sobrenatural, que é o que todo mundo gosta. Acho que é até esse o motivo de muitas pessoas não gostarem do estilo dele, pois como você disse ele transcende o terror e para mim isso é algo muito bom. Já o terceiro é tipo isso mesmo... Só pra dar risada, aliás nem isso... Eu dou risada assistindo planeta terror, Machete ou Visões 2... Já em centopéia humana 3, foi tudo tão forçado que nem engraçado eu conseguia achar...

Postar um comentário