HOMEDOJO DO GARUDA ACTION FIGURES FILMES ANÁLISES

VAMOS FALAR SOBRE O CLUBE DA LUTA 2.



     O que dizer de Clube da Luta?  Pessoalmente falando, tanto o filme quanto o livro Clube da Luta estão facilmente entre os meus top 3 filmes/livros favoritos. Acho que é impossível não se encantar com toda a loucura  destrutiva e filosófica de Tyler Durden. Ele é um personagem que joga na sua cara que o mundo é uma merda que tudo que você vê na televisão não é verdade, que se esforçar não é o suficiente para você se tornar alguém importante na vida e tudo mais. Sua revolta com o mundo atual é algo que faz com que você acabe se identificando com sua filosofia de vida e passe a questionar coisas do seu cotidiano. Clube da luta na minha opinião é literalmente um "soco na mente" como é descrito na capa de uma das versões do filme.
     Apesar disso, Clube da Luta foi um daqueles livros e filmes que estavam muito a frente de seu tempo, com sua temática mais pesada voltada para anarquismo e niilismo, fazendo com que tanto o livro escrito por Chuck Palahniuk (sim, ele foi lançado em livro primeiro) quanto o filme fossem malhados pela critica nos anos 90/2000.
     Com o passar do tempo, as ideias postas no filme começaram a ser digamos, "entendida" pelo público, mostrando que o Clube da Luta não é uma obra somente sobre um cara com dupla personalidade que resolve juntar uma galera para sair na porrada sem perder a amizade, mas sim uma obra que faz criticas sociais, ao consumismo e ao jeito como agimos para sermos aceitos pela sociedade fez com que tanto o filme quanto o livro acabassem se tornando obras cults e também responsável por moldar a cabeça de jovens e adultos em todo o mundo (tanto aqueles que entenderam a história do livro/filme quanto aqueles que pensaram que pensaram que seria legal fazer um clube da luta de verdade no fundo do seu quintal ou academia). Em suma, Clube da Luta é uma obra formadora de opinião.
       Agora, o que podemos esperar de uma continuação de uma obra tão "aclamada" após 20 anos que foi lançada desta vez em formato de graphic novel pela Dark Horse nos Estados Unidos e pela Leya aqui no Brasil? É o que vamos ver agora:




     Primeiramente vamos falar da aparência dela. Eu pessoalmente achei o trabalho que a Leya teve com o livro muito bom, a capa além de ser muito legal, ela tem alto relevo nos Band-aids e no título da capa. O material interno também é de primeira, não fica devendo em nada para quadrinhos de luxo publicados pela Panini. Porém o formato  de " cara de livro, livro mesmo" que a Leya decidiu lançar o Clube da Luta 2 é o fator que mais me incomoda nessa versão. Tudo bem que muitas editoras lançam quadrinhos nesse formato de livro normal (como a Companhia das Letras, Fundamento e até a Devir), mas, pessoalmente esperava que ele fosse ao menos lançado em formato americano, assim como no original pela Dark Horse, porém ela é um formato de livro normal mesmo com diferença de  talvez uns 5 centímetros  a mais de altura do que do primeiro livro, que também foi lançado pela Leya.


     Enquanto o roteiro fica por conta do Chuck Palahniuk (óbvio) A arte fica por conta de Cameron Stewart (que foi escolhido a dedo pelo Palahniuk). Muitos reclamaram o estilo de arte dele ser um tanto mais cartunesco e não ter caído bem com o estilo Clube da Luta, porém eu mesmo gostei do estilo de arte e achei que caiu bem com ela. Sem contar que o estilo dele é bem a cara dos quadrinhos da Dark Horse, que costumam sempre serem mais estilizados. Então, eu não acho que o estilo de arte ficou ruim, pra ela não só é excelente como também ficou bem a cara visual da editora. 
    As capas ficaram a Cargo de David Mack, que já fez capas do Demolidor, Alias, Buffy e mais alguns outros. 









     Suas capas pintadas além de serem belíssimas conseguem retratar muito bem o sentimento que o Clube da Luta passa para os leitores. Porém, outra reclamação que tenho sobre a edição da Leya são as faltas das capas alternativas feitas pelo Cameron Stewart, que não ganharam nem sequer um espacinho em uma sessão de galeria de capas que a Leya deveria ter colocado nessa edição. 
     Por fim, a edição acompanha um poster com as regras do Clube da Luta:


       Um poster que por sinal é MUITO fuleiro!! Não sei como eles têm coragem de colocar isso como um adicional para te fazer comprar o livro, porque ele não tem nada de legal! não tem como pôr na parede porque ele é todo dobrado e mesmo se desse, qual seria a graça de colocar isso na parede? Não seria mais interessante um poster com alguma das capas ou alguma arte do Clube da Luta?
No quesito estético, posso dizer que o Clube da Luta está bonito, e no quesito livro/quadrinho
está muito acima da média da maioria das outras editoras que publicam quadrinhos nesse estilo.
      
          Agora vamos ao que interessa, qual é a história do Clube da Luta 2?
      
      A história se passa 10 anos depois do primeiro Clube da Luta, onde o narrador (que a propósito se chama Sebastian), está casado com a Marla, e tem um filho chamado Júnior. O Tyler Durden já não o atormenta mais, por causa das altas doses de medicação que Sebastian toma para manter Tyler sob controle. Marla, porém, cansada dessa vida pacata, decide trocar os remédios de seu marido por açúcar para que o Tyler Durden possa voltar para lhe dar uma noite de sexo e doideiras, que era o que ela estava acostumada a fazer antes de se casar. E é ai que a coisa fica feia! Pois, a primeira coisa que Tyler faz, é sequestrar o filho de Sebastian e Marla para poder usá-lo contra eles.


        De volta ao comando do corpo de Sebastian, Tyler Durden mostra que o Projeto Ordem e Destruição é apenas a ponta do Iceberg do que ele e seus seguidores pretendem fazer, pois o seu próximo passo agora é o mundo inteiro. E, novamente cabe ao Sebastian impedir a si mesmo de destruir tudo e salvar o seu filho. E como fazer isso? Bem, voltando a ser Tyler Durden, e voltar a frequentar o Clube da Luta, o Projeto Ordem e Destruição e tudo mais, enquanto Marla se junta com seus amigos do grupo de apoio que por sinal são HACKERS para encontrar a localização do seu filho e ir resgatá-lo  
        A história é praticamente essa, porém há muito mais coisa de plano de fundo por trás da história, pois se você conhece o Palahniuk, sabe que não tem limites para a loucura dele quando está escrevendo. Especialmente quando você consegue entender a quebra de quarta parede que ele faz no decorrer do quadrinho e entende que o quadrinho é muito mais do que a história de Sebastian tentando resgatar seu filho das mãos de Tyler Durden, mas sim uma piada muito bem elaborada (dependo do ponto de vista, na verdade não é não) utilizando os fãs e os "fãs" e aqueles que só viram o filme e não leram o livro e querem dar pitaco no quadrinho (sim, Palahniuk zoa com quem só viu o filme) como massa de manobra para chegar a uma conclusão que vai te fazer achar tudo isso incrível, ou tudo isso uma baita de uma porcaria.
       

       Sem contar a citação que Palahniuk faz a Neil Gaiman no quadrinho, falando que ele pode fazer um mapa de onde ele mora para os fãs de quadrinhos revoltados com o Clube da Luta 2 na porta de sua casa. 
       A história em si é meio confuso a principio, e demora um pouco para você conseguir se situar no quadrinho, principalmente se você não leu o livro, pois, apesar do livro ter pouca diferença do filme, há um detalhe no livro talvez faça toda a diferença para o entendimento final do Clube da Luta 2, que é o final! Sim, amiguinhos, o final do livro Clube da Luta não é o mesmo final do filme. E é ai que o Palahniuk faz piada com aquele pessoal que só viu o filme e não conseguiu entender a continuação e mostra que toda a confusão da história foi milimetricamente elaborada pela sua cabecinha doida para no fim zoar com a sua cara e dizer que o Tyler Durden é aquele tipo de cria que se tornou muito maior do que o seu criador e ponto dele mesmo tomar o controle da história para si próprio.
      A história em si é bem legal, claro que está muito aquém do Clube da Luta original, pois ele acabou se tornando mais um quadrinho de ação com muita metalinguística escondido dentro dele, e não algo que te faz questionar o mundo a sua volta ou o seu modo de agir perante a sociedade e nem passa uma mensagem forte como o primeiro livro, porém você acaba percebendo que ele ser aquém ao original era mesmo a intenção de Palahniuk  desde o início ao escrever o Clube da Luta 2, pois ele com certeza já sabia que independente do que ele fizesse sempre alguém (ou todo mundo) falaria que a continuação é um lixo, que não deveria existir e coisas do tipo. Talvez por isso ele tenha optado por um desfecho um tanto quanto inusitado, como foi o Clube da Luta 2.
        O interessante do quadrinho é que ele explica a origem do seu distúrbio de dupla personalidade que faz com que Sebastian se torne Tyler Durden e mostra que ele não é o único membro da sua família que passa por essa síndrome de dupla personalidade, e que Tyler Durden já está na sua vida a muito mais tempo do que ele imaginava. Ele também explora um pouco mais o passado do Sebastian, mostrando alguns dos seus traumas de infância e também com o Tyler Durden começou a tomar contar de sua personalidade, e isso é explorado de uma forma bem legal no decorrer do quadrinho.
       Uma das coisas que eu não gostei no quadrinho foi a ideia de Palahniuk ter colocado a Marla como uma personagem mais ativa e de ação, algo que eu não acho que combina com a personagem, pois ela sempre teve o papel de ser o ponto de equilíbrio do Sebastian, e colocá-la como personagem mais da ação acabou forçando demais a barra de uma personagem que não serve para isso.



      Outra coisa que não me agradou é essa história de ficar trazendo gente que morreu de volta a trama ressuscitado. Não satisfeito com um personagem, Palahniuk trás logo dois personagens que morreram no primeiro livro (ou filme) de volta para o quadrinho, um deles até tem uma explicação plausível para estar de volta, mas o outro só está de volta para complementar ainda mais a zoeira do Palahniuk com os leitores, pois no começo ele só serve para te deixar ainda mais perdido na história sobre como ele está vivo, e no fim, ele acaba se encaixando na história no final para explicar tudo sobre o final.
     Conforme você lê o Clube da Luta 2, você se sente como se estivesse em uma viagem de remédios do personagem principal, dando uma alusão de que talvez tudo isso possa ser só uma viagem causada pelo efeito dos remédios que o Sebastian toma, pois em quase todas as páginas podemos ver pilulas, comprimidos e todo o tipo de remédio espalhado pelo nos quadros ou até mesmo no lugar onde deveriam estar outros personagens, o que novamente te faz ficar completamente confuso sobre o desenrolar da história, mas que acaba fazendo todo o sentido depois (como todo o resto do quadrinho).


      No fim das contas, Clube da Luta 2 é bom? Sim, Clube da Luta 2 é um quadrinho bem legal, e que também acaba cumprindo a função de te dar um soco na mente, mas, não da mesma forma que o primeiro, é claro, porém de um modo que quando você chega ao entendimento do quadrinho você se sente abalado e chocado com ele. Claro que eu não vou dizer que é algo indispensável para quem gosta de Clube da Luta, porque ele não é, já que ele se trata mais do Chuck Palahniuk extravasando sua frustração (ou não) sobre como Tyler Durden e o seu Clube da Luta se tornaram algo maior que ele próprio poderia imaginar, então não é algo para quem apenas gosta do Clube da Luta, mas sim para quem gosta das obras em geral do Palahniuk, pois em muitos quesitos ele lembra mais outros títulos escritos por ele do que o Clube da Luta original de todos amamos, porém, já é alguma coisa legal para podermos matar saudades de Tyler Durden, Marla Singer e Sebastian(??)
     Por enquanto Clube da Luta 2 está a venda exclusivamente pelo site da Submarino (não sei porque diabos a Leya fez essa besteira), mas creio que em breve esse contrato de exclusividade vai acabar, então, se você quer ler mas não é algo que você faz muita questão, recomendo pegá-lo apenas quando ele perder a exclusividade do Submarino ou então quando ele estiver em uma boa promoção pelo mesmo, pois, os R$ 59,90 cobrados por ele não valem a pena. Mesmo ela sendo uma edição bem trabalhada e caprichosa, ela simplesmente não deveria custar muito mais que um valor entre R$ 39,90 e R$ 45,00 reais. Então, se o Clube da Luta não é algo que você realmente queira ler logo de cara, aguarde um pouco mais para comprá-lo.



REVIEW BÔNUS!


    Ainda falando de Clube da Luta, gostaria de fazer uma rápida review da edição especial do Clube da Luta para colecionadores também publicado pela Leya.


    O livro vem dentro de uma caixa de papelão preta, algo que já dá uma ótima presença para a qualidade do material.


    O conteúdo vem um livro do Clube da Luta com uma capa dura com uma arte exclusiva desenhada por Fábio Oliveira e um chaveiro de soco inglês de metal.


    Chaveiro é bem legal, porém não acho que um soco inglês tenha muito a ver com o Clube da Luta, sempre que olho para ele penso que seria mais legal um chaveiro em formato do sabonete do Clube da Luta, mas ainda sim não deixa de ser legal esse chaveiro.



       A edição conta com os dois personagens principais, Tyler Durden na parte da frente, e o Narrador (ou Sebastian) na parte de trás, ambos os lados ficaram bem legais com esse estilo de arte e deixando cada lado da capa com uma personalidade própria, assim como os personagens do Clube da Luta.
Material da edição é simplesmente de alto nível! Não deve em nada para as luxuosas edições da Darkside, tanto em qualidade quanto em preço. Fiquei até pasmo em descobrir que essa já não é mais uma edição tão fácil de se achar assim, já que em todos os sites de vendas essa edição já consta como indisponível (eu mesmo encontrei essa edição perdida em uma livraria aleatória de onde eu moro). Por que a Leya parou de lançar uma edição tão bonita de um livro como esse?? Sinceramente, as vezes eu não entendo como funciona a politica de publicação deles, pois, parece que eles só dão prioridade a obras do George Martin e que se dane as outras publicações deles...


    Se você gosta muito de Clube da Luta e tiver a oportunidade de dar uma conferida nessa edição, não pense duas vezes em adquiri-la! Vale cada centavo gasto nessa belíssima edição de colecionador.


  

3 comentários:

Ozymandias Realista disse...

Percebo agora que vou ter que ler o livro. É questão de honra agora, só pra poder detonar esse quadrinho. E olha que gosto de Cavaleiro das Trevas 2, mesmo sendo um material propositalmente ruim, mas desse, eu vou achar difícil gostar.

Unknown disse...

spoiler...






Eu li, achei muito bom.Mas alguem me explica o final, o que realmente aconteceu? eles salvaram todo mundo e viveram felizes para sempre? se A bomba era de mentira como o mundo acabou, ou nao? Como tyler saiu do filho do sebastian ?

Renan Pereira disse...

Esse livro é uma porcaria, só não é de comédia pois não tem graça, mas a história é patética. Um lixo, o autor se coloca dentro da história, estragou sua própria obra.

Postar um comentário